Água Branca - PB

Água Branca, município no estado da Paraíba (Brasil), localizado na microrregião da Serra do Teixeira. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2008 sua população era estimada em 9.477 habitantes. A área territorial é de 221 km².

História

Conta-se que em 1814 um índio domesticado da fazenda de Herculano José da Silva saiu para caçar em companhia do filho do fazendeiro. Perdeu - se na mata e para se orientar, subiu numa árvore e avistou uma faixa muito verde de terra. Caminhando para lá, encontrou uma cacimba que batizou de "Mutamba". Ao erguer o líquido com as mãos, afirmou ser água branca. Segundo a tradição originou - se assim o nome do município.

Praça São Pedro (Centro da cidade)
Seguindo o curso do riacho Bom Jesus, o índio, de volta à fazenda, relatou o fato despertando interesse. Várias pessoas mudaram-se para o local, onde fixaram residência, dando origem ao povoado. A primeira capela, hoje Igreja Matriz, foi construida em 1834. O distrito de Água Branca foi criado pela lei municipal nº 17, de 7 de janeiro de 1896, subordinado ao município de Piancó.
Em 1930, o território de Água Branca serviu de palco para as lutas que se registraram entre as forças governamentais e os rebeldes, liderados por José Pereira Lima. No local identificado como o de grande conflito existe hoje uma capela, conhecida por Capela dos Caminhões Queimados.
Pelo decreto-lei nº 1010, de 30 de março de 1938, o distrito de água Branca passou a pertencer ao município de Princesa. Neste mesmo ano, o município de Princesa passou a ser chamado Princesa Isabel. Em 31 de dezembro de 1943, o distrito de Água Branca passou a denominar-se Imoroti. Em de 19 de novembro de 1948, o distrito de Imoroti voltou a denominar-se Água Branca. Sua independência política deu-se em 24 de setembro de 1959.

Água Branca é conhecida por fazer a maior festa de São Pedro da Serra.

Geografia
Igreja Católica (Matriz)
Água Branca situa-se na unidade geoambiental da Depressão Sertaneja. Entretanto, o relevo do município apresenta-se acidentado e com elevadas altitudes, formado por um conjunto de serras alongadas e alinhadas ao longo da estrutura geológica.

A vegetação nativa é composta por caatinga xerófila.

O município está inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Piranhas e da sub-bacia Piancó. Tem como principais tributários o Rio Jenipapo e os riachos do Macaco, Marcelo, dos Canucos, do Exu, São Francisco, Bom Jesus, do Mel e da Glória. Os principais cursos d’ água no município têm regime intermitente.